São Paulo vai entrar na fase emergencial | Vitta Vivace

São Paulo vai entrar na fase emergencial

stay-at-home-5094617_1920

Com a mudança para a fase mais crítica do Plano São Paulo, que acontece entre os dias 15 e 30 de março, as escolas públicas e privadas terão que suspender as aulas presenciais, no período de 17 de março a 1º de abril.

Devido ao aumento do número de casos de Covid-19 na cidade e no país, o Governo de São Paulo determinou a fase emergencial, em que as medidas de isolamento serão mais restritivas, adotando o toque de recolher das 20h às 5h, período em que a população deverá ficar em casa.

O Vitta volta a adotar 100% o formato de aula virtual, não seguindo mais com as aulas presenciais, e alerta para a importância de todos os alunos e suas famílias seguirem as novas recomendações das autoridades. “Toda a nossa equipe continua oferecendo o apoio necessário às famílias e aos alunos neste grande desafio do ensino à distância. Sabemos o quão difícil é esta situação, principalmente, por isolar as crianças da convivência social, mas é a melhor solução para a segurança dos alunos, das suas famílias, professores e funcionários”, destaca a diretora Cida Lourenço.

Desde a fase vermelha, que ocorreu na primeira quinzena de março, a presença dos alunos no colégio se tornou opcional, mas sempre com atenção redobrada aos protocolos de segurança. Porém, a partir do dia 17 de março, o Vitta suspenderá o formato presencial e irá abrir apenas as secretarias das duas unidades para atendimento. “Estaremos com equipe reduzida e adotando os protocolos de segurança para atender na escola, mas a nossa recomendação é que os pais e alunos entrem em contato por telefone, e-mail, WhatsApp ou redes sociais, e deixem para ir pessoalmente, em último caso”, informa Letícia Lourenço, a vice-diretora do Vitta.

O modelo de aula virtual continua o mesmo, pela plataforma do Google Sala de Aula, respeitando a agenda de dias e horários combinados. “Estaremos juntos, enfrentando mais essa fase da pandemia com muita responsabilidade e segurança. O que fará a diferença agora é a conduta responsável e consciência coletiva”, reforça Letícia.

 

🟣 Entenda a fase emergencial

Para evitar um colapso no sistema de saúde público e particular, devido ao aumento das transmissões do coronavírus, o Governo de São Paulo decretou uma “fase emergencial”, também chamada de fase roxa, que adota medidas mais restritivas para a pandemia. A ação começa no dia 15 de março, próxima segunda-feira, e vai até 30 de março.

Com isso, a partir de segunda-feira, haverá um toque de recolher das 20h às 5h, período em que a população deverá ficar em casa e poderá ser abordada por representantes do Estado para receber orientação, caso esteja na rua. As pessoas não receberão multas e nem serão presas, apenas estabelecimentos comerciais que promoverem aglomerações. Porém, pessoas que estiverem sem máscara podem ser multadas.

Complementar a medida do Governo, a prefeitura de São Paulo decretou a suspensão das aulas presenciais de escolas municipais e privadas, durante os dias 17 de março a 1º de abril.

Os recessos de abril e de outubro serão adiantados para as semanas de 15 e 28 de março.

 

O que funciona

  • Transporte coletivo
  • Supermercados (a recomendação é evitar frequentar depois das 20h)
  • Farmácias (a recomendação é evitar frequentar depois das 20h)
  • Escolas estaduais vão receber apenas alunos vulneráveis, que precisam de alimentação e equipamentos para as aulas on-line. Já as aulas presenciais nas escolas municipais e privadas serão suspensas.

 

 

O que “não” funciona

  • Restaurantes não abrem ao público e nem permitem a retirada de alimentos e produto, mas o delivery é permitido.
  • Lojas de material de construção
  • Cultos religiosos
  • Jogos de futebol e de outros esportes coletivos
  • Escritórios e serviços públicos não essenciais
  • Parques
  • Praias vetadas

 

Saiba mais sobre a nova medida do governo na matéria do jornal Folha de S. Paulo.

Crédito foto: Pixabay

Comments are closed.